5 coisas sobre resguardo pessoal que as mulheres devem saber

Os casos de feminicídio, homicídio de mulheres, têm aumentado de maneira assustadora no Brasil e no mundo. Diante dessa veras, é importante que as mulheres busquem dominar algumas técnicas de autodefesa, para que possam se proteger em situações de risco. Obviamente, a resguardo pessoal é uma técnica que deve ser treinada com o suporte de profissionais especializados, a término de que a mulher compreenda todos os possíveis golpes de maneira correta.

É fundamental ressaltar que oriente item não substitui as aulas de resguardo pessoal conduzidas por instrutores qualificados. São somente dicas de segurança e coisas sobre autodefesa que todas as mulheres já podem entender de antemão.

Confira 5 coisas sobre resguardo pessoal que toda mulher precisa saber!

1 – A chave do seu carruagem não é uma arma – Muitas mulheres acreditam que podem usar a chave do carruagem uma vez que uma instrumento importante de resguardo pessoal e que podem melindrar um provável atacador na região dos olhos. Isso realmente não funciona. De qualquer forma, em aulas de resguardo pessoal, os instrutores realmente afirmam que os olhos são bons alvos para se proteger. Você pode tentar meter o dedo nos olhos do atacador ou usar o spray de pimenta.

2 – O chuto na virilha não é tão eficiente – É geral nos filmes ver mulheres se defendendo com o famoso chuto na região da virilha do varão. Realmente, essa é uma superfície muito sensível, mas, ao tentar levantar o pé para o chuto, a mulher já dá tempo de o atacador se desviar ou, ainda pior, se aproveitar da falta de estabilidade causada pelo indumento de a mulher estar com somente um pé de escora para tentar uma ofensiva. Se a decisão for chutar um atacador, o ideal é fazê-lo na canela ou no joelho. Tome desvelo para não tombar.

3 – Não espere o atacador chegar perto para se tutorar – A resguardo pessoal não exige que o atacador esteja perto da vítima. Esperar até que seu atacante esteja com as mãos em você antes de encetar a tentar se tutorar está longe do ideal. O mais recomendado é tentar evitar que o atacador se aproxime, fazendo-o recuar para que você possa passar.

4 – Não evite o contato visual – Evite caminhar de cabeça baixa, olhando para o pavimento. Fique atenta ao seu volta. A consciência situacional é uma das maiores armas que você tem contra os criminosos. Especialistas em autodefesa concordam que os criminosos buscam alvos fáceis, e os alvos mais fáceis são aqueles que parecem tímidos ou inseguros. Faça contato visual e se imponha. Mostre para um provável atacador que você está consciente da presença dele e continue em frente.

5 – Ter um revólver na bolsa não é autodefesa – Em muitos casos, a pessoa portadora de uma arma pode ser esfaqueada antes que possa disparar uma projéctil. Por isso, ter um revólver não é a resposta para a autodefesa feminina, a não ser que você seja policial ou receba treinamento para usá-la. Outrossim, lembre-se que no Brasil, é necessário ter porte de arma. Exclusivamente tente estar pronta para se tutorar.

Veja também:

Os 7 destinos mais perigosos para as mulheres que viajam sozinhas

Porquê é ser mulher na Rússia?

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *