Caçador de rinocerontes é morto por elefante e comido por leões na África do Sul

Os ossos e as calças de um caçador de rinocerontes foram encontrados em um parque pátrio da África do Sul. O varão teria sido morto por um elefante e comido por leões no Parque Pátrio Kruger.

O incidente aconteceu depois que o varão entrou no parque para caçar rinocerontes. A informação foi divulgada em transmitido solene do serviço de parques da África do Sul.

O elefante atacou o suposto caçador e o matou. Outros homens que estavam com a vítima alegaram ter levado o corpo do varão para uma estrada, para que ele pudesse ser encontrado, mas os sobras mortais acabaram devorados pelos leões e os ossos haviam perdido.

A família do caçador foi notificada de sua morte e um grupo de procura começou a trabalhar para restaurar o corpo. Guardas-florestais vasculharam a pé a espaço do parque e a polícia sobrevoou a espaço. Os profissionais conseguiram identificar o sítio onde estava o que sobrou do corpo.

Depois da ocorrência, a polícia acabou prendendo três homens e apreendendo armas. Segundo as autoridades, os leões que comeram o corpo deixaram unicamente o crânio e as calças da vítima.


Crédito da foto: South African Police Service

O executivo-chefe do Kruger National Park deu uma enunciação afirmando que “entrar no parque pátrio ilegalmente e a pé não é uma decisão inteligente, já que o envolvente é bastante perigoso”.

Três indivíduos que se juntaram à caça ilícito foram presos pelo Serviço de Polícia da África do Sul. Os oficiais continuam investigando o caso. Os suspeitos apareceram na Golpe de Magistrado para enfrentar acusações de posse de armas de queima e munição sem licença e conspiração para roubar e invadir o parque pátrio.

Caça ao rinoceronte africano

O rinoceronte africano é objectivo de caçadores há décadas. O bicho é morto principalmente por razão de seu chifre, que, segundo a medicina oriental, possui benefícios afrodisíacos. Ou por outra, os cornos têm um sobranceiro valor de mercado, alguns são avaliados em mais de 2 milhões de dólares.

O rinoceronte preto é considerado criticamente ameaçado. A espécie teve sua população reduzida de 65.000, em 1970, para 2.400, em 1995, de conciliação com o Parque Pátrio Kruger. Hoje, estima-se que existam tapume de 5 milénio rinocerontes negros vivendo na África do Sul, Namíbia, Quênia e Zimbábue.

O Kruger é considerado uma zona de proteção intensiva, e o governo da África do Sul emprega recursos para impedir a caça furtiva, incluindo aeronaves, cães, guardas florestais e uma unidade de investigação criminal.

O Parque Pátrio Kruger oferece um roteiro de safári na África do Sul. A espaço tem quase dois milhões de hectares, e é a maior suplente pátrio do país. O parque tem leões, elefantes, rinocerontes, leopardos e búfalos africanos.

Hoje, a África do Sul abriga tapume de 20.000 rinocerontes selvagens, mais de 80% de toda a população mundial.

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *