Conheça a Capital Mundial dos Relâmpagos

Uma região específica da Venezuela chamou a atenção da NASA (Escritório Espacial Setentrião-Americana) por ser a localidade mais atingida por relâmpagos no mundo.

Em Ologá, região que fica na dimensão do lago de Maracaibo, a oeste da Venezuela, é quase impossível observar uma noite completamente escura. Neste espaço, os relâmpagos aparecem e desaparecem de forma permanente no firmamento. Trata-se de um fenômeno rotineiro para as pessoas que vivem na região.

Estudos indicam que ocorrem, em média, 297 tempestades elétricas em Maracaibo. Apesar de serem assustadoras, as luzes proporcionam um espetáculo de formosura oriundo peculiar.

Uma pesquisa da NASA, em parceria com a USP (Universidade de São Paulo) e com as universidades de Maryland e Alabama, nos Estados Unidos, mostrou que o lago de Maracaibo é a “capital” dos relâmpagos na Terreno. Antes desse estudo, os pesquisadores acreditavam que a maior concentração de raios no planeta estava na bacia do rio Congo, na África.

Com a pesquisa, foi provável justificar que a dimensão do lago Maracaibo é campeã em relâmpagos. O estudo da região foi feito de forma minuciosa. Os dados foram publicados em boletim da Associação Americana de Meteorologia (AMS).

Uma vez que o estudo foi feito?

A pesquisa sobre a incidência de relâmpagos em Maracaibo foi feita com a estudo de dados coletados ao longo de 16 anos. O Lago Maracaibo é o maior da América do Sul. Ele concentra o fenômeno sabido na Venezuela uma vez que “Relâmpago do Catatumbo”, que é uma referência às luzes que aparecem no firmamento sobre o Rio Catatumbo, que desemboca no lago de Maracaibo.

Com a estudo de milhares de dados captados por um sensor de raios chamado Lightning Imaging Sensor, os pesquisadores conseguiram observar com precisão os pontos quentes dos relâmpagos e o comportamento das chuvas tropicais.

Atualmente, muitos turistas visitam a região para escoltar o que chamam de “a experiência do relâmpago”. A pesquisa feita na região foi importante tanto para constatar a grande incidência de relâmpagos na dimensão quanto para julgar os efeitos das mudanças climáticas no planeta uma vez que um todo.

De entendimento com os pesquisadores envolvidos, foi cogitada a hipótese de que relâmpagos e tempestades elétricas podem ser um indicador sensível da mudança de temperatura no planeta. O que acontece na Venezuela é um fenômeno vasqueiro e ocorre durante mais de 140 dias por ano no entorno do lago Maracaibo.

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *