Curiosidades sobre o Chaves

Em 2014, o mundo perdeu um grande ícone da puerícia, da alegria e da inocência. O ator e humorista Roberto Gómez Bolaños, pai e tradutor do Chaves, morreu aos 85 anos de idade. Bolaños deixou uma obra de muito sucesso na tv e no cinema mexicano.

Durante quatro décadas, os programas Chaves e Chapolin foram exibidos em diversos países e conquistaram muitos fãs. O seriado Chaves é repleto de curiosidades.

Confira algumas das histórias curiosas deste marco da TV Brasileira e Mundial chamada Chespirito, mais conhecida no Brasil uma vez que: A Turma do Chaves.

1 – O primeiro incidente do Chaves foi ar em 20 de junho de 1971.

2 – O famoso incidente de Chaves em Acapulco foi dividido em três partes. No Brasil, os episódios foram dublados uma vez que se os personagens estivessem em Acapulco e no Guarujá. A versão do Guarujá foi adotada para aproximar o seriado da verdade do Brasil.

Assista:

3 – Roberto Gómez Bolaños estudou engenharia, mas nunca trabalhou na extensão.

4 – O personagem Seu Madruga trabalhou uma vez que vendedor de churros, fígaro, mecânico, sapateiro, pintor, leiteiro e marceneiro.

5 – O personagem Quico saiu da série em 1978, depois das gravações em Acapulco.

6 – A cidade do carteiro Jaiminho, Tangamandápio, fica no estado de Michoacán, no México.

Jaiminho em Tangamandápio

7 – O último capítulo de Chaves foi gravado em 1995.

A Turma do Chaves

8 – Chaves foi dublado para mais de 50 idiomas.

9 – O seriado foi exibido até na China, no Japão e no Marrocos.

10 – Nas dublagens antigas, Chiquinha era chamada de Francisquinha.

Bônus:
Seu Barriga cobrando o aluguel do seu Madruga

A mansão do Seu Madruga tinha aproximadamente 35 metros quadrados. Ele ficou devendo 14 meses de aluguel para o Senhor Ventre, sendo que cada aluguel custava naquela idade em média 115 dólares por mês, totalizando 1610 dólares de dívida.

Veja também:

Quais são os episódios escondidos da série Chaves?

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *