Dimelia ulnar ou mão em espelho

A dimelia ulnar, também conhecida uma vez que mão em espelho, é uma enfermidade de origem congênita, caracterizada pela presença do conjunto ulnar e radial nos dedos de uma mão, causando uma sensação de que há um espelhamento da imagem. Pessoas que nascem com essa desordem, considerada extremamente rara, apresentam uma deformidade nas mãos que, em alguns casos, pode levar à premência de amputação cirúrgica.

Até hoje poucos casos foram relatados na literatura médica. Os pacientes já diagnosticados com o problema apresentavam carpais, metacarpos e falanges duplicados. Estima-se que, ao longo da história, unicamente 100 casos tenham sido registrados pelos médicos.

Esse tipo de deformidade óssea também pode trazer outras consequências para o paciente, uma vez que, por exemplo, anomalias nervosas e arteriais. Algumas pessoas também têm a geminação do nervura ulnar, encurtamento do nervura radial e pouquidade da artéria radial.

Para fazer o diagnóstico de dimelia ulnar, os médicos tomam uma vez que base exames laboratoriais e de imagem. De tratado com a Sociedade Americana de Cirurgia da Mão, a dimelia ulnar engloba o 3º grupo de deformidades congênitas da mão.

Os casos mais conhecidos na literatura médica foram expostos por Harrison, Roaf e Pearson, que descreveram as deformidades em três pacientes. Não existem evidências sobre as causas dessa doença.

A enfermidade costuma ser unilateral, ou seja, ocorre em unicamente uma mão. A deformidade causada é bastante impressionante, resultando na presença de múltiplos dedos saindo de uma mesma palma.

Os dedos são chamados de pós-axiais e pré-axiais. Pessoas com essa anomalia também tendem a apresentar encurtamento do braço e redução de movimentos no cotovelo.

Essa geminação dos dedos, gerando a sensação de espelhamento da mão, precisa ser tratada com fisioterapia e cirurgia, quando o paciente atinge a idade para ser operado. Em universal, essa reconstrução pode ser feita a partir dos dois anos de idade. Quanto mais cedo for realizado o procedimento, menor será o traumatismo para o paciente.

Uma vez que na dimelia ulnar o paciente pode ter de sete a oito dedos em uma mão, o médico responsável pela cirurgia deverá julgar quais dedos podem ser mais muito aproveitados e quais precisam ser removidos. É um tratamento multíplice e que tem um pós-cirúrgico quebradiço.

Outra propriedade da dimelia ulnar é que a deformidade congênita faz com que a pessoa nasça sem o dedo polegar. Por isso, o médico também precisa julgar qual dedo poderá fazer o papel do polegar na mão afetada.

Veja também:

Quais são as doenças que mais afetam as articulações?

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *