Estudo avalia a eficiência e produtividade da geração mercantil de frangos

Uma pesquisa da Universidade de Alberta, no Canadá, avaliou a eficiência e o lucro de produtividade da indústria de geração de frangos em distintas fases da história. O estudo, publicado em 25 de novembro de 2014, teve uma vez que objetivo mandar uma vez que os frangos têm desenvolvido e se desenvolvido ao longo dos anos graças aos novos métodos de geração, com hormônios e outras práticas.

A pesquisa avaliou as condições dos frangos destinados ao mercado mercantil nos anos de 1957, 1978 e 2005 e apontou que as aves começaram a apresentar peso e tamanho mais elevados com o passar do tempo. O efeito da seleção mercantil tem impacto sobre o propagação, a eficiência e o rendimento da geração de frangos.

As mudanças ocorreram principalmente por desculpa de programas nutricionais diferenciados e métodos de geração de aves que visavam vangloriar a taxa de propagação dos frangos, com o consumo controlado de ração e práticas comerciais que visam o lucro. O estudo analisou várias estirpes de aves e avaliou o propagação de músculos peitorais, da mesocarpo da coxa, da gordura abdominal, do fígado, do tripa e do coração.

Os padrões de propagação das aves mudaram radicalmente entre 1957 e 2005, principalmente por conta da pressão mercantil de seleção. De entendimento com o estudo, de 1957 a 2005, o propagação de frangos de galanteio aumentou mais de 400%. Essa mudança também tem relação com a seleção genética feita com as aves.


Crédito da Imagem: Academic.oup.com

As novas técnicas de geração de frangos provocaram uma profunda mudança na produtividade da indústria, através da seleção genética premeditado e de técnicas quantitativas tradicionais. Oriente fator também foi responsável pelo maior consumo per capita de mesocarpo de frango no mundo.

O desenvolvimento do resultado tem impulsionado a seleção genética e tem provocado alguns sinais negativos, uma vez que mais defeitos no esqueleto das aves, distúrbios metabólicos e diferença da função imune. A mensuração das consequências intencionais e não intencionais dos processos modernos de geração de frangos tem sido feita por especialistas. Já se sabe que tais técnicas têm aumentado a eficiência dos produtores e impactado a produtividade, levando mais mesocarpo ao mercado consumidor.

Os programas de seleção mercantil de frangos já implicaram na produção de carnes menos saudáveis para os seres humanos. O estudo da Universidade de Alberta forneceu evidências razoáveis de que a pressão da seleção mercantil reduziu o repositório de gordura nos frangos de galanteio.

Uma vez que peroração, o estudo apresentou que: de 1957 a 2005, as taxas de propagação dos frangos de galanteio aumentaram em mais de 400%, as aves ficaram maiores e mais pesadas e a indústria de frangos de galanteio se tornou capaz de reduzir pela metade a quantidade de ração necessária para produzir mesocarpo de frango, o que gerou uma grande economia para os consumidores, ou seja, a mesocarpo de frango se tornou mais barata e conseguível.

Crescimento e peso frango, galinha, 1957, 1978, 2005, 0 dias até 56 dias
Crédito da Imagem: Academic.oup.com

As galinhas modernas crescem rapidamente por desculpa dos métodos mais eficientes de seleção e reprodução, mas essa prática já resultou em dimorfismo sexual aumentado, alterações musculoesqueléticas, alterações na resposta imune e outras implicações.

Manadeira / Crédito das Imagens: Academic.oup.com

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *