Por que pessoas com depressão preferem ouvir músicas tristes?

Diversas pesquisas já foram realizadas para explicar as causas e os efeitos da depressão. De origem química, essa doença, que vem afetando um grande número de pessoas no mundo, já se tornou um problema de saúde pública, despertando o interesse de médicos e cientistas em universal para a procura de tratamentos mais eficazes.

Um estudo recente mostrou que pessoas com depressão se sentem melhores depois de ouvirem músicas tristes. De convenção com o estudo, as pessoas com depressão ouvem músicas tristes porque isso faz com que elas se sintam melhores.

A primeira segmento do estudo, publicada na revista Emotion, tentou repetir as conclusões de uma pesquisa de 2015, que mostrou que pessoas deprimidas preferem ouvir canções tristes. Pesquisadores da Universidade do Sul da Flórida pediram a 76 alunas de graduação, das quais metade tinha depressão, para assistirem vários clipes de música clássica. Uma vez que resultado, as músicas deprimentes foram as que tiveram melhor impacto nas voluntárias com depressão.

Em seguida, os pesquisadores deram às participantes novos clipes de música instrumental com batidas e ritmos mais felizes e mais tristes e pediram que elas descrevessem os sentimentos que as faixas despertavam nelas. Para as participantes deprimidas, as músicas tristes fizeram com que elas se sentissem mais felizes.

Segundo Jonathan Rottenberg, sócio do estudo, as músicas tristes parecem ter efeitos relaxantes e calmantes. Pode parecer contraditório, mas as músicas tristes podem ser um mecanismo de enfrentamento.

O estudo analisou somente estudantes de graduação do sexo feminino. A invenção é bastante intrigante e pode contribuir muito para o desenvolvimento de tratamentos de musicoterapia, garantindo novas interações com os pacientes com depressão.

Os efeitos da depressão

Um dos principais sintomas do transtorno depressivo é a tristeza persistente. Por isso, pode parecer estranho que os estímulos tristes tenham um potencial de contentar estes pacientes.

De convenção com os estudos realizados, pessoas com depressão são mais propensas a escolherem músicas tristes porque elas têm baixos níveis de vigor e efeitos calmantes, atuando uma vez que reguladoras das emoções.

Até agora, três estudos já apontaram que os participantes clinicamente deprimidos se mostram mais propensos do que os não-deprimidos a usarem estratégias de regulação de emoções com comportamentos que poderiam seguir em uma direção que provavelmente manteria ou aumentaria seu nível de tristeza.

Estudos Científicos: Sagepub, Psycnet

Nascente: Theverge

Veja também:

Você tem depressão?

16 fatos que você não sabe sobre a depressão

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *