Triângulo das Bermudas

O Triângulo das Bermudas, também publicado porquê Triângulo do Diabo, é uma extensão que fica entre as Bermudas, a Flórida e Porto Rico, onde, misteriosamente, navios e aviões desaparecem, no mar e no ar, respectivamente.

O termo “Triângulo das Bermudas” foi criado pelo plumitivo Vincent Gaddis, em 1964, na Revista Argosy. Embora tenha sido Gaddis quem criou o termo, esse nome só passou a ser utilizado internacionalmente tapume de dez anos depois. Outro plumitivo, Charles Berlitz, era um aficionado por paranormalidades. Ele acreditava que não só a Atlântida era real, porquê também que ela tinha alguma relação com o Triângulo, e tentou mostrar isso numa teoria que escreveu em seu livro, lançado em 1974, “O Triângulo das Bermudas”.

Desde portanto, o mistério sobre o lugar tem feito com que diversos livros sejam publicados, revistas, programas de televisão, sites, mas todos sem encontrar uma explicação persuasivo, até o momento.

A história começou com Cristóvão Colombo que escreveu sobre “um extraordinário raio de fogo” imergindo no mar perto de São Salvador. Seu quotidiano fala também de luzes estranhas e do funcionamento estranho da bússola. Os registros da guarda costeira dos EUA, entre 1945 e 1972, apontam o desaparecimento de mais de 100 navios e aviões na região. Registros mais antigos revelaram o desaparecimento de navios entre 1781 e 1812. No entanto, fazer qualquer conexão entre estes eventos e a extensão em questão é no mínimo dúbio, pois ocorrem desaparecimentos inexplicáveis em qualquer lugar, e esta é uma região de tráfico pesado.

Entrando na vaga da curiosidade, levante texto trará algumas observações sobre o Triângulo das Bermudas. Vamos a elas:

A cidade perdida de Atlântida

Os mistérios do Triângulo das Bermudas fazem gerar muitas lendas, e uma delas é que ele é originário da cidade perdida de Atlântida e envolve o místico e o sobrenatural. No ano de 1968, foi invenção a Estrada de Bimini, nas Bahamas, que nenhuma coisa mais seria do que uma formação geológica localizada perto da costa da Ilhéu Bimini. Tem uma reta, com tapume de 800 metros de extensão, formadas por blocos retangulares de calcário. Ainda não se tem, ao manifesto, o número de blocos que a formam, mas é manifesto que passa dos 5.000 blocos de pedra, que fixadas ao pavimento, formam uma estrada, que levaria à fictícia cidade perdida de Atlântida.

Leia também:
Atlântida existiu mesmo?

Portais do tempo

Portais do tempo, Portal dimensional

O piloto Bruce Gerson relatou em seu livro que durante um voo que fez, de Andros Island a Ft. Lauderdale, ele enfrentou uma terrível tempestade sobre o Triângulo das Bermudas e , do nenhuma coisa, entrou num túnel do tempo. Ele alega que chegou ao seu direcção 30 minutos antes do previsto, além de ter utilizado 9 litros a menos de combustível.

Além dessas observações, o Triângulo das Bermudas traz diversos mistérios, porquê o desaparecimento de navios e aviões. Vamos saber alguns deles:

1 – Voo 441

Voo 441, 30 de outubro de 1954

No dia 30 de outubro de 1954, o voo 441 transportava 42 passageiros, entre eles fuzileiros navais norte-americanos e seus familiares. Porquê sempre acontece no Triângulo das Bermudas, o avião perdeu a notícia com a torre de comando e desapareceu do radar, sem ter nenhum pedido de socorro do piloto. Até hoje, nenhum destroço do avião, ou nenhum tripulante foi encontrado e nenhuma investigação foi iniciada. Ninguém soube explicar de roupa o que aconteceu.

2 – Witchcraft

Witchcraft

O Witchcraft era um cruzador marítimo guiado pelo comandante Daniel S. Burack, em dezembro de 1967. Com o intuito de poder visualizar as luzes de Natal da costa de Miami à intervalo, se afastou da praia. Solicitando socorro, entrou em contato com a guarda costeira lugar. Quando o resgate chegou ao lugar, tapume de 19 minutos depois, não foram encontrados nenhum sinal do navio, tripulantes ou destroços. Nos dias seguintes, foram realizadas buscas em 39 milénio quilômetros de oceano, mas nenhuma pista foi encontrada.

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *