Jejum de nicotina e cafeína pode promover sofrimento em pacientes de UTI

Um estudo apontou que a dieta de nicotina e cafeína desculpa um sofrimento a pacientes que estão internados em unidades de terapia intensiva (UTI). Oriente sofrimento, por consequência, pode levar à realização de testes laboratoriais e de imagens diagnósticas desnecessários, porquê raios-X e sonância magnética.

De consonância com uma revisão sistemática de estudos clínicos e observacionais envolvendo 483 adultos, os sintomas da dieta são bastante prejudiciais aos pacientes. As descobertas foram apresentadas no congresso da Euroanestesia 2019, uma reunião anual da Sociedade Europeia de Anestesiologia, que ocorreu em Viena, na Áustria, entre os dias 1 e 3 de junho.

Segundo a pesquisa, “a nicotina e a cafeína são algumas das substâncias mais comumente usadas e altamente viciantes na sociedade moderna, mas são frequentemente negligenciadas como uma fonte potencial de sintomas significativos de abstinência quando abruptamente interrompidas na UTI”. A professora adjunta Maya Belitova, do Hospital Universitário “Tsaritsa Yoanna”, de Sofia, na Bulgária, foi quem liderou a pesquisa.

“Os sintomas de abstinência, incluindo náuseas, vômitos, dores de cabeça e delírio podem durar até 2 semanas. Esses sintomas se assemelham a condições como meningite, encefalite e hemorragia intracraniana, e isso pode confundir o diagnóstico clínico e resultar em testes desnecessários que podem causar danos ao paciente”, disse a pesquisadora. Ou por outra, a realização destes exames custa muito moeda e desperdiça tempo.

Na Europa, até 27% da população fuma e mais da metade toma moca. A revisão sistemática, que reúne e organiza as evidências disponíveis na literatura científica, incluiu 12 estudos que investigaram sintomas de dieta e tratamento em UTIs, entre 2000 e 2018. A avaliação envolveu casos de 483 adultos, com idade entre 18 e 93 anos.

Os resultados mostraram que a dieta aguda de nicotina aumenta substancialmente a espalhafato e o número de deslocamentos da risca traqueal e da risca intravenosa em pacientes de UTI.

Já a retirada abrupta da cafeína leva ao desenvolvimento de sonolência, náusea, vômitos, dores de cabeça e pode aumentar as taxas de delírio na UTI. Em alguns casos, o medicamento benzoato de cafeína tem sido usado com sucesso para tratar as dores de cabeça decorrentes da dieta de cafeína, mas, no envolvente de UTI, esse procedimento ainda tem evidências limitadas de eficiência.

O que o estudo sugere porquê solução?

A pesquisa indicou que pacientes na UTI até podem se beneficiar da substituição de nicotina e da suplementação de cafeína, mas com pouca evidência sobre a eficiência dos métodos. Ainda será necessário realizar outras pesquisas futuramente para encontrar opções de tratamento para estes casos específicos.

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *