As tarântulas já caminhavam na terreno no período dos dinossauros há 120 milhões de anos

Quando as pessoas pensam em animais assustadores, provavelmente aranha é uma espécie que salta na mente estando presente na maioria das listas. Não é à toa, aranhas realmente são animais fascinantes e, em alguns casos, venenosos. Por isso, a soma entre pânico e ignorância resulta em um bicho terrificante.

Agora, existem alguns fatos sobre esses animais que a maioria das pessoas não conhecem. Na verdade, existem fatos sobre esses animais que mesmo os cientistas ainda não conhecem. Mas algumas coisas começaram a invocar a atenção, gerando estudos. Mas neste item vamos focar em falar das tarântulas, por fim são provavelmente os animais mais velhos do mundo.

As tarântulas, ou Theraphosidae para os íntimos, são uma família de aranhas. São geralmente aquelas aranhas imensas, com pernas muito grandes, peludas e com aparência muito famosa, assim:

Por mais que você não queira comportar, em qualquer momento da vida você já olhou torto para a imagem de uma dessas. E tudo muito, são animais que realmente geram um perceptível intensidade de pânico. Ainda assim, a verdade é que o mundo era delas antes de sonhar em ser também dos humanos.

A PROVOCAÇÃO DO ESTUDO

Os pesquisadores sempre entenderam as tarântulas porquê espécies de aranha pouco móveis, na verdade até sedentárias. Esses animais são grandes, desengonçados e não gostam de andejar mais do que o necessário. Geralmente, o masculino sai a caça e as fêmeas não saem muito de perto de onde estão instalados. Ainda assim, mesmo não sendo nômades, esta é uma espécie observada em todo mundo.

Uma vez que nascente bicho sedentário povoou todos os continentes? Foi literalmente a pergunta que os cientistas começaram a se fazer. Perguntas levam a respostas e respostas são descobertas. A resposta nesse caso foi obtida por um time misto e internacional de pesquisadores, publicada na revista PeerJ.

Realizado por uma equipe internacional de pesquisadores, o estudo analisou os transcriptomas (o mRNA expresso por um organização) de uma ampla gama de espécies de tarântulas originárias de diferentes períodos da história da Terreno. A partir disso, eles foram capazes de gerar uma árvore genética de espécies de tarântula que poderia ser cruzada com espécimes do registro fóssil.

Agora que vem a secção mais interessante. De convenção com essa “arvore genética”, os estudiosos conseguiram instituir que a provável área de surgimento dos primeiros indivíduos da família tarântula surgiram no que hoje é espargido porquê América do Sul, mas em um período de milhões de anos atrás, há 120 milhões de anos mais exatamente.

Talvez você seja familiarizado com a expressão Pangeia. Se não, a imagem inferior é um resumo:

De convenção com os estudos, as tarântulas surgiram em Gondwana (América do Sul, África, Índia, Antarctica e Austrália). Assim, elas foram capazes de se espalhar da forma mais simples conhecida: andando. Ao longo de todos esses milênios, elas percorreram o orbe e quando Laurásia e Gondwana se separaram, e formaram o mundo porquê conhecemos hoje, as tarântulas já haviam se espalhado por terreno.

O estudo não focou em responder porquê as tarântulas sobreviveram e os dinossauros não.

O post As tarântulas já caminhavam na terreno no período dos dinossauros há 120 milhões de anos apareceu primeiro em Site de Curiosidades.

Base deste teor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *